h1

A Tocha Chega a Vau Ashaben

abril 27, 2008

a tocha

Depois da derrota do dragão Izildrax, Eldrin e Kantras, o feiticeiro e o paladino, saem de Cormyr, seus companheiros de batalha nãqo estão presentes, e Eldrim pensa como o destino os separou.

Pieron e York ficaram na reconstrução da cidade, Eldrim sentirá falta na simplicidade e bom humor dos dois, eles deixaram mais leves os deveres da aliança, Kantras era muito centrado em seus preciosos valores e ele mesmo muito dedicado a magia.

Sinuhe, foi em direção da terra dos vales mais rápido com o intuito de encontrar respostas sobre o destino do menino Melegosth com seus colegas Harpistas Arilyn e Alastor. Ele apesar de triste em maneiras e hábitos era o que instigava o heroismo no coração de cada um. Concluindo seus devaneios Eldrim percebe uma densa névoa preenchendo toda planície, mas ao longe ele ainda vê coisas que o deixam receoso.

– Kantras, ao norte existe um cimitério amaldiçoado, uma necrópole, e ao sul algumas matas que são território de criaturas como goblins, estamos em local perigoso.

A resposta vem coma sinceridade do paladino, que cavavalgava a seu lado há 3 dias.

– Está com medo?

– Não. Mesmo assim vamos apressar os cavalos, para evitar problemas.

– Esta certo. A cavalgade permanece silenciosa durante todo o dia, e a noite se passa tranquila tendo o lobo mágico Clauron e o cavalo sagrado Stelios como vigias, o faro deles raramente seria enganado.

Pela manhã os dois conversam amenidades comendo um agradável desjejum logo após das orações e preparações de magia, Kantras sente que a névoa continuará até o meio dia, eles discutem sobre o vale e sobre o que farão a seguir. O lobo negro de olhos dourados interrompe a conversa dos dois com um leve rosnado, invasores, ele fala mentalmente a seu mestre.

– Tem alguém vindo aí. Fala eldrim se escondendo atrás de uma árvore próxima, com o lobo obedientemente em silêncio a seus pés.

Kantras sempre detestou ardis e emboscadas, e estreitou seus olhos em direção a incomoda névoa vendo apenas um brilho de chamas, muito alto, era um homem a cavalo.

– Quem vem lá! Gritou Kantras, sem resposta, ele ficou em pé com peito desnudo, somente com a espada de lâmina cinza fosco coberta de preces em runas, em sua mão, de forma destemida e até descuidada.

Os que vieram eram dois cavaleiros bem diferentes, e claramente experientes, um de cabelos loiros compridos gigante em altura, usando armadura pesada um escudo e espada, e o outro um homem bem menor, parrudo e portando um arco e camisão de malha.

– Estamos procurando Kantras Helder e você bate com a descrição. Disse o loiro com voz de um gigante, o outro permaneceu em silêncio observando o mago escondido.
-Se vem em paz digam seus nomes e porque vieram! Disse o mago de trás da àrvore de arco em punho, apontando para o loiro.

-Sim sou Kantras Helder, cavaleiro da ordem de Áster e campeão de Lathander o Senhor do Amanhecer, e este é Eldrim Eldric, poderoso arcano de Evermeet.

– Estão com a tocha? ela funciona mesmo? disse o loiro desviando o olhar para a fogueira, ele pensou com certeza que o melhor lugar para esconder uma tocha é entre a lenha comum da fogueira, e estava certo, havia uma lenha completamente negra e do fogo dela saiam quase imperceptíveis runas douradas entre suas fagulhas. Seus olhos se arregalaram, mas Kantras vendo se interpôs no caminho com a espada em punho.

– Respondam quem são, e quais suas intenções!

– Perdoem-nos, eu sou sir Lucius e este é meu guia mateiro Darwin, fomos enviados pelo sacerdote de Tyr para escoltá-los até Vau Ashaben, pois diplomatas foram mortos por drows,eles estavam de posse dos planos de defesa do nosso vale, e informações estratégicas. Eles iam revelar nossas defesas ao vale da cicatriz e a rainha Negra Esperança, mas foram interceptados por drows, não sabemos o que é mais perigoso, saber que existe um triador, ou nossas informações pararem nas mãos de drows ou dos Zhentarin do Vale da Cicatriz.

Kantras os fita por longos intantes com seu único olho, procurando inverdade em suas palavras ou o mal nos seus corações, com alívio ele não encontrou nenhum dos dois. e ele sempre confiava no seu julgamento.

– Acredito em vocês, com essas notícias a nossa chegada ao vale deve ser apressada, não temos tempo a perder. Disse ele vestindo a pesada armadura de batalha cor bronze e a túnica branca dos cavaleiros de áster sobre ela. Assovaindo o cavalo mágico veio da névoa empinou e relinchou, enchendo de admiração os olhos dos que ainda não o haviam conhecido.

E eles cavalgaram pela névoa até o primeiro posto do sino…

O vale da névoa costuma ser amedrontador

Era um posto de vigilância composto de duas torres, uma com um sino, e um grande portão entre elas, a estrada ficava entre duas elevações de terra levemente inclinadas a 45º que chegava a uns 10 ou 12 metros de altura, essas subidas eram cobertas de vegetação rasteira e pequenas pedras.

O posto estava silêncioso, nem mesmo os animais emitiam mais barulho, o ar começou a ficar tenso, quando um corvo cruzou o caminho, pousou em uma árvore outonal, emitiu sons agourentos e depois partiu.

– O corvo, pode ser um familiar de um mago, se for estamos emboscados. Disse Eldrim.

– Pode ser apenas um corvo vagando por aí. Respondeu Kantras nada impressionado.

– Clauron, vá atrás do corvo, descubra sua natureza. com este comando o lobo saiu em disparada seguindo seu aguçado faro e desapareceu na névoa. Voltou de orelhas baixas com um ar decepcionado quase humano.

– O corvo não era mesmo comum, Clauron não conseguiu segui-lo, e o posto avançado a frante está silencioso demais. Disse Eldrim depois de um breve contato mental com seu familiar. Em seguida depois de uma breve concetração e alguns gestos precisos falou em um tom grave e audível – SAHCELF ARTNOC OACETORP! um leve luz azul circulou seu corpo e depois desapareceu, não revelando mais traços de magia.

O batedor Darvin desceu do cavalo e subiu a inclinação com pouca dificuldade, somente para ver vários, furiosos, orcs saindo da mata correndo em direção a eles. Mal teve tempo de atirar uma flecha e voltar para seus companheiros, várias azagaias zuniram de ambos os lados atingindo os viajantes. elas pararam no escudos dos guerreiros e explodiram revelando a proteção azulada do arcano.

Assim que os Orcs desciam eram abatidos pelas flechas certeiras do Batedor, Kantras fez sua oração a Lathander por uma boa batalha, e Lucius se protegia atrás de seu escudo.

A segunda leva de azagaias chegou e com mais força que a primeira, ferindo kantras levemenete no antebraço, Atingindo a perna de Darvin e o ombro de Lucius, as armaduras reduziram em muito os ferimentos, mas eles não deixavam de doer.

Darwin derrubou mais dois orcs com flechas certeiras, garganta e testa respectivamente, eles caiam e rolavam a seus pés. O terceiro a chegar girou o machado e veio com muita fúria para degolar Darwin, somente para parar de cara no escudo e Lucius e uma espadada certeira em sua barriga acabou com seu intento.

O outro lado da colina também desciam orcs, mas foram impedidos por uma fumaça verde de natureza mágica, criada por Eldrim , essa fumaça os deixou naureados e eles não puderam fazer nada a não ser vomitar e sair de sua área, para evitar o repugnante fedor.

Kantras em seu cavalo começou a interceptar os Orcs , o primeiro foi pisoteado por seu cavalo, e o segundo teve seu elmo rachado pela espada mágica que não perdia o fio.

Os orcs como sempre eram desajeitado e desorganizados em combate, não eram páreos para a defesa dos Experientes Kantras e Lucius. Mas darwin cercado por dois orcs começou a sentir as lâminas atrevessarem o couro de sua armadura, a perda de sangue o estava deixando tonto.

O único orc que saiu ileso da fumaça nauseante, investiu contra eldrim que conseguiu girar o corpo para se desviar do machado, mas não totalmente e ele rasgou suas costas profundamente tirando um urro de dor do elfo.

Subtamente uma nova flecha vem certeira em direção a testa de eldrim somente para quebrar na proteção mágica, das sombras um Orc de manto verde cobrindo a cabeça atirava de arco com uma perícia ainda maior que a de Darvin. Vendo a proteção o grande orc decidiu mudar de alvo, atirando com a mesma precisão e atravessando a armadura de lucius com uma poderosa flechada, por pouco o coração não foi atingido.

Os Orcs começavam a se recuperar do enjoo e seguiam em direção do causador o feiticeiro eldrim, ele se desviava mais com dificuldade. Se concentrando e falando as palavras mágicas OAIR ETNEDRA !!! atingiu um orc com uma língua de fogo e as outras duas erraram por pouco o orc arqueiro, que era muito ágil para seu tamanho.

Kantras em um brilho dourado cortou a cabeça de um orc e o outro foi perfurado no peito, seu cavalo atacava com a mesma precisão esmagando sob suas patas os orcs que se aproximavam. Os orcs restantes cercavam os três companheiros, atacando de forma desajeitada com grandes machados, o escudo de Lucius bloqueou a maioria dos ataques e os afastava protegendo os companheiros.

OIAR ETNEDRA !!! Novamente ele tenta atingir o líder orc arqueiro, e algo estranho acontece, os raios de fogo acertam o alvo e voltam violentamente contra ele, que fica muito ferido, vítima de sua própria magia. As flechas em resposta atingem Lucius e Darvin, que consegeuem evitar ferimento mais profundos, darvin começa a perder a consiência, mas balança a cabeça e retorna a luta agora com sua espada.

Vendo isso kantras corre em direção ao arqueiro orc com espada em punho e com um grande movimento de seu braço em arco dá um poderoso golpe que abre um corte em seu peito expondo as costelas e o arremessando a três metro de distância, apenas o instinto de sobrevivência o mantia vivo agora.

Com um rápido, giro de mão o orc aciona a alavanca do portão e separa kantras de seu alvo, logo depois sai correndo cambaleando e deixando um rastro de sangue. Vendo isso Eldrim invoca um leão da névoa que se forma e tenta agarrar o grande orc, mas mesmo ferido ele é muito ágil e deixa a criatura para trás.

Somente para perder a cabeça, pois o cavalo de kantras é rápido como nenhum outro e o alcançou, a espada brilhando dourado separou sua cabeça de seu corpo como se ela fosse feita de ferro quente.

Rapidamente com seu líder morto os Orcs restantes foram facilmente mortos.

Cara isso é a metade! falta a outra metade !

Anúncios

5 comentários

  1. Até me sinto mais importante ao saborear suas palavras..

    Não acreditei ao ver quem fez o post,


  2. Fodaa!!! soh tenho isso a dizer….
    tem um cara maior q o pieron andando com o Kantrasa agora… vamus ver em breve se ele sabe segurar bem essa espada…
    uhuahaa


  3. Muito bom mesmo! parabéns quem escreveu o post.

    Espero que meu grupo usufrua e se possível inicie um post como este.

    Abraços
    Que a sorte de tymora os acompanhe!


  4. Aideus, que vontade de jogaaaar!

    Ivo sua peste! Volta logo pra gente se reunir!
    Quero ver o grupo todo junto pra descer a porrada! Hhahahaha

    A história tá muito boa
    Mas se o Sinuhe estivesse lá teria sido mais fácil hahahaha

    Abraço!


  5. manda eles marcarem com antecedencia q eu vou… dia 10 e 1 eu to aih a principiop
    se marcarem no dia 17 perfeito
    no dia 10 ou 11 perfeito
    eu vou
    abrass



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: